Sonda da NASA pode ter encontrado novos indícios de vida em Marte

De acordo com novos relatórios da cientistas da Universidade do Estado do Arizona, nos EUA, a sonda Spirit, da NASA, encontrou novos indícios de que pode ter havido vida em Marte.

Para chegar a essas conclusões, os cientistas tem contrastado o estudo da Spirit na “Home Plate” – um planalto de rochas explorado pela sonda durante a primeira parte do seu terceiro ano no Planeta Vermelho – com características encontradas dentro de canais de descarga de gêiseres em um local chamado El Tatio, no Chile.

Conforme publicado no Nature Communications, os trabalhos de campo liderados por Steven Ruff e Jack Farmer, mostram que certas características em El Tatio se assemelham às encontradas em Marte, como estruturas sedimentares complexas, produzidas por uma combinação de processos bióticos e abióticos.

Spirit chegou em Marte em janeiro de 2004, algumas semanas antes da sua gêmea, Opportunity, que aterrissou em uma outra parte do Planeta Vermelho. As duas sondas partiram em uma missão que tinha como objetivo procurar por antigos sinais de água, que pudessem indicar existência de vida no planeta.

A sonda Spirit encontrou afloramentos e regolitos compostos de sílica opalina, em um antigo ambiente hidrotermal vulcânico, localizado na cratera de Gusev. Na época, foi considerada possível que sua origem se dado a partir da lixiviação ou precipitação através de fluídos de fontes quentes. “No entanto, o potencial significado das estruturas de sílica opalina não foi identificado”, observaram Ruff e Farmer no novo estudo.

A sonda atolou em Marte em maio de 2009. No final de janeiro de 2010, após meses tentando liberar a sonda Spirit, a NASA passou a utilizá-la como uma plataforma de pesquisa estacionária. A falta de mobilidade e o duro clima de Marte conspiraram para selar o destino da sonda, com as tentativas de recuperar o robô sendo encerradas em maio de 2011. Posteriormente, a NASA anunciou o fim dos esforços de contato e a conclusão da missão do Spirit.

Os pesquisadores da Universidade do Estado do Arizona sugerem que uma futura missão, especialmente instrumentada, pode, talvez, fornecer uma avaliação mais definitiva da da biogenicidade das estruturas do Home Plate.

Você pode conferir o estudo clicando aqui.

Originalmente por Leonard David | Space.com

Fundador e dono de todos os projetos da Climatologia Geográfica e Novo Cientista e redator/social media nos dois sites. Adoro viajar pelo mundo e desfrutar da natureza. Adicionem o perfil pessoal: https://www.facebook.com/IsaiasMarquesJunior

Comentários