Artigos científicos, notícias e muito mais.

10 animais tão estranhos que parecem ter saído de outro mundo

10 – Misterioso sanguessuga das cavernas

sanguessuga-caverna

Encontrado exclusivamente no Monte Velebit, na Croácia, o Croatobranchus mestrovi é uma espécie bizarra de sanguessuga que habita ‘piscinas’ de água gelada, localizadas nas profundezas de poços profundos.

Completamente branco, estes sanguessugas possuem membros semelhantes a pernas, e quarto tentáculos que se assemelham a dedos. Não se sabe bem para que servem esses tentáculos, bem como não se estudou muito, até então, sobre o estilo de vida desse animal.

Normalmente, os sanguessugas se alimentam de sangue, enquanto outras espécies caçam caracóis e minhocas, ou buscam alimento em carcaças. No entanto, não se sabe muito bem como se alimenta o Croatobranchus mestrovi, já que não foram encontrados muitos outros seres vivos em seu habitat natural.

9 – O primeiro inseto a ser descoberto vivendo em cavernas

cave-insect

Pode ser surpreendente para alguns, mas até pouco tempo atrás a ciência não sabia quase nada sobre as formas de vida que habitavam as cavernas. Algumas cientistas chegavam a afirmar que nenhum tipo de vida conseguiria se manter apenas em ecossistemas cavernosos.

Tudo mudou, no entanto, quando um besouro chamado Leptodirus hochenwartii foi formalmente descrito em 1831. O reconhecimento deste inseto deu os primeiros passos no estudo da vida em cavernas.

8 – Synocyclocheilus

barbel

Os Synocyclocheilus são peixes marcados principalmente por possuírem um crânio que parece ter sido afundado, ou amassado.

Algumas espécies desse gênero vivem próximos da superfície, enquanto outros são quase subterrâneos, com olhos pequenos e fracos, enquanto outros são troglóbios – complemente cegos e sem pigmentação.

Isso fez com que os peixes desse gênero sejam considerados excelentes exemplos de estudo sobre como peixes que vivem em grandes profundidades se adaptam à formas troglóbias.

7 – Sinopodia scurion

cac%cc%a7a-aranha

Hoje em dia já sabemos que algumas aranhas vivem em cavernas, até 2012 não havia sido descoberta nenhuma espécie troglóbia que tivesse o hábito de caçar. Até que a Sinopodia scurion foi encontrada em uma caverna do Laos.

Essa aranha é a única completamente cega e que ainda assim possui o hábito de caçar. Assim como os peixes supracitados, algumas espécies similares à Sinopodia scurion ainda possuem olhos bem fracos.

6 – Munidopsis polymorpha

Não se trata exatamente de um caranguejo, mas de um Galatheidae semelhante a um caranguejo que vive em um único tubo de lava nas Ilhas Canárias. Essa espécie se alimenta principalmente de diatomáceas microscópicas.

5 – Piranhas cegas

piranhas

A Stygichthys typhlops é uma espécie parente das infames piranhas. No entanto, como a maioria das espécies que vivem nas profundezas de cavernas, são cegas e totalmente pálidas.

Um único espécime do peixe foi encontrado em poço no Brasil durante os anos 60. O segundo espécime, que garantiu que a espécie não estava extinta, foi encontrado apenas em 2010.

4 – Amphisbaena caeca

worm-cego

Esse é o único animal da lista que não vive apenas em cavernas. Mas ele gastou tanto tempo vivendo de forma subterrânea que se adaptou a viver dessa maneira.

Sem pigmento algum, possui um corpo translúcido, e seus olhos são capazes apenas de diferenciar a luz da escuridão. Esses animais vivem principalmente em Porto Rico, e se alimentam de algumas formigas, pequenos ovos e larvas.

3 – As salamandras cegas do Texas

texas

Esse anfíbio é mais um que se adaptou ao mundo subterrâneo. A Eurycea rathbuni não possui olhos e é totalmente dependente de um aquífero. Mas essa é somente uma das duas salamandras que vivem desta forma no Texas, e é a mais comum.

A mais rara é a Eurycea waterlooensis, que possui olhos pequenos e pode ser observada apenas em pequenas ranhuras repletas de água abaixo da superfície em Barton Springs, Austin – Texas/EUA.

2 – Fulgoromorpha de cavernas

moradia

Durante muito tempo se acreditou que ecossistemas tropicais não suportariam cavernas com faunas endêmicas. De fato, nenhum troglóbio foi encontrado na Austrália até os 1980, quando descobriu-se que a caverna Bayliss possuía uma grande diversidade de insetos, aracnídeos, milípedes e outros invertebrados que viviam em condições subterrâneas.

Entre as mais surpreendentes descobertas estavam membros da infraordem de insetos chamada Fulgoromorpha, normalmente encontrados na grama e florestas. Essas espécies normalmente são dependentes de plantas, mas nesse caso elas conseguiram se adaptar às cavernas sugando plantas e raízes que penetraram as profundeza.

1 – Phasmatocoris labyrinthicus

labirinto

Essa é a única criatura da lista que possui uma visão razoavelmente boa, que é necessária principalmente para voar e se locomover entre as cavernas em busca de parceiros. Possuem uma espécie de bico, com o qual injetam veneno paralizante em suas presas – praticamente tudo que conseguem capturar.

Comentários
Carregando...