Astronauta que participou do projeto Apollo fala sobre sua visão da Terra e do Universo

Originalmente por Dave Mosher | Business Insider.
Traduzido e adaptado por Leonardo Ambrosio.

Uma publicação recentemente publicada por Dave Mosher, do Business Insider, foi entrevistado o astronauta Jim Lovell, que esteve duas vezes na Lua. Lovell esteve presente na Apollo 8 e Apollo 13.

O astronauta fala sobre suas experiências em um momento em que a Lua parece estar em alta no mundo da astronomia, já que o empreendedor Elon Musk anunciou recentemente que a SpaceX, uma de suas companhias, estaria disponibilizando (para quem pudesse pagar uma quantia substancial em dinheiro) uma viagem ao redor da Lua em 2018. De acordo com ele, duas pessoas (que não tiveram os nomes divulgados) já teriam pago pela viagem. Não fosse o bastante, a NASA recentemente recebeu também a missão de ir até a Lua até 2021.

Jim Lovell esteve presente na missão Apollo 8, que teve início no dia 21 de dezembro de 1968. Em entrevista ao Business Insider, o astronauta disse que aquela era uma época complicada para os Estados Unidos.

Climatologia Geográfica
NASA

“Estávamos em meio à Guerra do Vietnam, que não era nada popular, especialmente entre os mais jovens. Havia protestos, assassinatos, e as coisas não estavam bem para os EUA”, disse Lovell em entrevista ao Business Insider. Além disso, a publicação relembra que naquele ano a NASA não media esforços para cumprir a meta estabelecida pelo presidente John F. Kennedy, de enviar humanos para a Lua até o fim da década. Lovell diz que como a meta foi alcançada, a Apollo 8 conseguiu fazer algo que foi “visto com bons olhos por todos no país”, em suas palavras.

“Nós trouxemos uma foto da Terra a aproximadamente 386 mil quilômetros de distância. O fato é que isso lhe dá uma perspectiva diferente da Terra quando você a observa como algo tridimensional entre o Sol e a Lua. Você começa a perceber o nosso tamanho e significância”, argumentou. “Quando eu colocava meu dedo na janela, eu conseguia esconder completamente a Terra. Então eu percebi que atrás do meu dedo eu estava escondendo a Terra, e que lá haviam 6 bilhões de pessoas lutando para viver”.

Ele também abordou, durante a entrevista, o conceito de céu e paraíso. “Devemos refletir sobre nossa existência no universo. As pessoas algumas vezes dizem: “espero que eu vá para o Céu quando morrer”. Na verdade, se você parar para pensar, você vai para o Céu quando nasce”, filosofou.

Por fim, o astronauta ressalta que o planeta em que vivemos “possui exatamente o que é necessário para nossa vida”, reforçando o que acredita ser uma dádiva.

“(Ao nascer) você chega em um planeta com a massa, gravidade, água e atmosfera necessária para a nossa vida. Você chega em um planeta que está orbitando uma estrela na distância exata – nem tão longe, nem tão perto. E na distância correta para absorver a energia da nossa estrela de uma forma na qual a vida possa evoluir”, concluiu.

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...