208 espécies criadas pelo ser humano reforça ideia da Era Antropocênica

Originalmente por phys.org.
Traduzido e adaptado por Leonardo Ambrosio.

Não é novidade para ninguém que o ser humano desde o começo dos tempos interage com a Terra de forma a modificá-la. Muitas vezes, nossas atitudes são benéficas para o planeta, mas sabemos que na maior parte das vezes estamos prejudicando o local em que vivemos.

Entre tantas outros fatores que foram afetados pela indústria, estão os minerais. De acordo com um novo estudo, os seres humanos fizeram mais pela diversidade e distribuição dos minerais na Terra que qualquer outro desenvolvido registrado desde 2,2 bilhões de anos atrás.

A influência humana é tanto que muitos cientistas já acreditam que é hora de designar uma nova era geológica: A Época Antropocênica. E esse novo estudo, publicado no começo do mês passado, reforça a ideia. A pesquisa foi realizada por uma equipe comandada por Robert Hazen, do Instituto Carnegie de Ciências. Nela, eles identificaram pela primeira vez um grupo de 208 espécies de minerais originados principalmente ou exclusivamente pela atividade humana. Isso representa praticamente 4% dos 5200 (aproximadamente) minerais reconhecidos pela Associação Mineralógica Internacional (IMA).

Climatologia Geográfica
Simonkolleite (Zn5(OH)8Cl2·H2O). Trata-se de um mineral antropogênico, encontrado em uma mina no Arizona. / Créditos: RRUFF.

Como era de se imaginar, a mineração é a atividade humana responsável pela maioria nos novos minerais. Seis espécies foram encontrados nas paredes de fundições, e três em um sistema de tubulação geotérmica. Mas nem todos minerais influenciados pela ação humana se dão somente por ela. Alguns também podem ocorrer naturalmente. Três minerais desta categoria foram descobertos em artefatos corroídos de chumbo, em um navio naufragado da Tunísia; dois em artefatos de bronze do Egito, e dois em artefatos de lata, no Canadá. Além disso, outros quatro foram encontrados em locais pontos de sepultamento pré-históricos, nas montanhas da Áustria.

De acordo com os autores do estudo, com tantos minerais e compostos semelhantes a minerais ligados à atividades humanas, “um entendimento e análise mais compreensiva da natureza mineralógica da chamada Época Antropocênica é garantido”. Este é o maior evento de desenvolvimento de minerais desde o principal acontecimento na história da diversidade da Terra, há 2 bilhões de anos, quando o nível de oxigênio aumentou na atmosfera. Nesta época, surgiram 2/3 dos minerais reconhecidos atualmente.

Climatologia Geográfica
Abhurite – ou abhurita (Sn21O6(OH)14Cl16) encontrado nos restos da uma mina na Inglaterra. / Créditos: RRUFF.

Entre as atividades humanas que contribuem com a diversidade de minerais estão, por exemplo: A manufatura de compostos sintéticos que se assemelham a minerais, e a criação de minerais como um subproduto não intencional da atividade humana. Esta última explica, por exemplo, os minerais encontrados nas paredes de pontos de mineração. Também podemos destacar a movimentação de rochas de grande escala, bem como sedimentos e outros minerais. Essa prática contribui, de acordo com os cientistas, com a diversidade e alteração nos compostos.

Uma série de minerais relatados anteriormente como resultado da atividade humana foram rejeitados. Em 1998, a IMA decidiu proibir qualquer substância “feita pelo Homem”. Agora, entretanto, a IMA concordou em reconhecer um mineral em casos “onde a intervenção humana na criação de uma substância seja menos direta”.

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...