Artigos científicos, notícias e muito mais.

Cientistas estão usando “jardins marcianos” para entender como plantar em Marte

Originalmente por Samantha Mathewson | Space.com – Simulações de “jardins marcianos” estão ajudando cientistas da NASA a descobrir quais plantas astronautas podem cultivar no Planeta Vermelho. Uma viagem completa até Marte pode durar até dois anos e meio, e um dos maiores desafios para esse tipo de missão é determinar a quantidade de comida necessária para alimentar os cientistas. Por isso, pesquisadores estão estudando maneiras possíveis de permitir que astronautas cultivem sua própria comida, já que sementes ocupam menos espaço e possuem maior vida útil em relação aos alimentos “prontos”.

Por isso, “jardins marcianos” desenvolvidos no Centro Espacial Kenndey, da NASA, e no Instituto Espacial Buzz Aldrin, do Florida Tech, estão ajudando os pesquisadores a superar os desafios da produção de alimentos na paisagem árida de Marte.

Cultivar alimentos em Marte é bem diferente da prática realizada na Terra, já que o solo marciano consiste em rochas vulcânicas com nada de material orgânico, fazendo com que seja praticamente impossível que uma planta sobreviva no solo. “Nós estamos utilizando avanços que já foram feitos na ciência para entender melhor como produzir suprimentos para os astronautas por meio das plantas”, disse Trent Smith, idealizador do projeto Sistema de Produção Vegetal, para o Centro Espacial Kennedy, da NASA. O experimento permitiu que os astronautas cultivassem sementes no espaço e conduzissem experimentos biológicos na Estação Espacial Internacional.

O solo que está sendo utilizado para simular o solo de Marte foi retirado do Hawaii, e foi escolhido por conta de suas semelhanças com o tipo de solo encontrado em Marte. Usando amostras, os pesquisadores testaram a quantidade de solo que deveriam ser utilizado, bem como quais nutrientes deveriam ser adicionados para que varios tipos de plantações alcançassem crescimentos interessantes.

Os pesquisadores testaram, por exemplo, como alfaces crescem em um solo como o existente em Marte, depois compararam os resultados com alfaces cultivadas em solo enriquecido com nutrientes, bem como com vegetais cultivados em solo normal. O experimento revelou que alfaces cultivadas em solo “marciano”, sem nutrientes, tinham o mesmo sabor, mas possuíam raízes mais fracas e uma taxa de germinação muito mais baixa. Em outras palavras, os vegetais levavam mais tempo para crescer, de acordo com o comunicado da NASA.

No futuro, os pesquisadores planejam testar como vegetais como rabanetes, acelgas, couves, repolhos, ervilhas, pimentas e tomates se comportam no solo de Marte. “As descobertas feitas nesses jardins que simulam o solo de Marte irão guiar o caminho para futuros estudos e desenvolvimentos tecnológicos em termos de produção de alimentos”, disse Ralph Fritsche, diretor de projeto para produção de alimentos no Centro Espacial Kennedy.

Comentários
Carregando...