Cientistas fizeram download de GIF inserido no DNA de uma bactéria

Pesquisadores que trabalham testando o potencial e os limites de armazenamento do DNA usaram CRISPR para inserir um GIF no genoma de bactérias vivas de E. coli. Eles converteram cada pixel individual no GIF em nucleotídeos, os componentes da molécula de DNA.

A capacidade de converter bits de informação em nucleotídeos tornaria possível economizar enormes quantidades de dados em moléculas microscópicas e carregá-las com você – inclusive em sua pele. A geneticista George Church, da Universidade de Harvard, que lidera o time por trás do experimento de inserção do GIF, acredita que tudo isso é possível dentro do domínio dessa área de pesquisa.

O GIF de cinco quadros de um cavalo e cavaleiro foi colocado nas bactérias vivas. Os pesquisadores simplesmente precisavam sequenciar o DNA das bactérias para recuperar os dados e reconstruir a animação. Usando esse método, sua reconstrução foi 90% precisa. Dado que é possível extrair e sequenciar DNA de centenas de milhares de anos no passado da Terra, o armazenamento de DNA é uma maneira duradoura de armazenar enormes quantidades de informações em um espaço compacto.

A outra conquista notável é que os pesquisadores conseguiram armazenar e recuperar os dados no DNA de um organismo vivo, apesar do constante dinamismo das células vivas que mudam, dividem e morrem. Experimentos anteriores de armazenamento de DNA foram confinados ao DNA sintético.

Em seguida, a equipe estará explorando “sensores vivos” para o armazenamento de DNA que são sensíveis ao seu ambiente. O pesquisador do estudo, Seth Shipman, comentou: “o que realmente queremos fazer são células que codificam informações biológicas ou ambientais sobre o que está acontecendo dentro delas e em torno delas”.

Embora o sonho do armazenamento massivo de DNA dentro de nossos corpos não seja realizado em breve, a técnica já está sendo valiosa para os pesquisadores. Por exemplo, os cientistas podem usar dispositivos de armazenamento de DNA com capacidades sensoriais para registrar os eventos moleculares que ocorrem à medida que os neurônios se formam durante o desenvolvimento do cérebro.

Traduzido e adaptado de Futurism.

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...