Cientistas russos presos por ursos polares foram resgatados

Cinco meteorologistas que foram cercados por ursos polares em uma estação de pesquisa de uma remota ilha do Ártico foram resgatados, segundo o The Guardian. Os cientistas ficaram presos em suas instalações após um grupo de ursos polares retornar para a região.

De acordo com a agência de notícias russa TASS, cerca de 10 ursos adultos, junto de alguns filhotes, estavam à espreita na região da estação climática Izvetsia, na ilha Troynoy, há 150 quilômetros da costa da Sibéria.

Os pesquisadores ficaram presos no local por duas semanas, conforme o NBC News. Sua única defesa contra as enormes criaturas eram foquetes para assustar os adultos, potencialmente mortais. Porém, seus foguetes acabaram e os pesquisadores foram forçados a recuar.

Originalmente pensou-se que a ajuda não alcançaria os cientistas por mais de um mês, para quando era prevista a chegada de um barco de abastecimento. O TASS afirmou que os ursos estavam tão perto que alguns deles foram dormir embaixo das janelas da unidade de pesquisa. “Os ursos vivem no Ártico, não podemos bani-los da região.”, disse o supervisor da estação ao NBC.

O TASS ressaltou que a caça a ursos polares foi banida da Rússia há mais de 50 anos, devido à situação de risco do animal. O ministro de Recursos Naturais e Meio Ambiente da Rússia, Sergey Donskoy, ordenou que fossem tomadas todas as medidas possíveis para proteger tanto os ursos quanto os cientistas.

“Coisas como esta já aconteceram antes na ilha Troynoy porque os ursos habitam a área e as pessoas trabalham lá”, disse Vassiliy Shevchenko, chefe da rede de monitoramento do estado de Sevgidromet, onde a estação está localizada. “No final de outubro ou início de novembro as águas na região congelarão e os ursos vão deixar a ilha em busca de alimentos”, concluiu Shevchenko.

[LiveScience]

 

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...