Artigos científicos, notícias e muito mais.

Motor que pode fazer viagem de ida e volta à Marte com um tanque de combustível

Um motor de íons que quebra o recorde se tratando de eficiência com combustível foi registrado para uma patente de inovação. O inventor da Universidade Sydney Patrick Neumann, relatou que a inovação poderia fazer uma viagem de ida e volta para o planeta Marte usando apenas um tanque de combustível.

Neumann relatou em uma entrevista que a ideia para o motor de íons veio quando ele ainda era um estudante do terceiro ano ajudando um pós-doutorando como parte de um programa para se conectar estudantes com pesquisadores. Neumann mediu a velocidade de íons de titânio liberados através da pulsação de um arco eléctrico, semelhante a um arco de soldador. “O titânio foi saindo numa velocidade 20 quilômetros por segundo e eu pensei ” este mecanismo poderia ser usado para dar impulsionamento, disse ele para a IFFCG. Em um trabalho posterior, Neumann provou seu direito ao palpite, testando a adequação de 11 materiais diferentes.

Os resultados foram dramáticos. Uma medida da eficiência de um propulsor é impulso específico, comumente chamado de “salto por onça,” e é medido em segundos. O registro existente é da NASA, mostrando uma alta potência de propulsão elétrica (HiPeP) com 9.600 segundos. Entretanto, alimentada pela unidade de magnésio, Neumann conseguiu um número estimado de 14.600 segundos de impulso específico.”Outros metais têm menor eficiência, porém maior impulso. Então você precisa de mais combustível para chegar à Marte, mas pode chegar lá mais rápido”.

CathodeGraphic

Neumann relatou que os combustíveis metálicos têm vantagens além da sua eficiência. O HiPEP usa Xenon, e como diz Neumann, “o Xenon é uma fonte difícil de ser encontrada fora da Terra. O magnésio é encontrado em asteroides, mas Neumann obteve resultados promissores com o titânio, alumínio e outros metais amplamente utilizados. Naves espaciais usando sua movimentação podem encontrar e capturar combustível feito a partir de um satélite desativado, uma maneira prática de reabastecer e solucionar o problema lixo espacial que se encontra ao redor do Planeta Terra.

Os propulsores iônicos, tais como a que levou a sonda Dawn até Ceres, só são adequados para uso em ambientes a vácuo, e Neumann diz que mesmo ficando fora da Lua ou em asteroides maiores, ainda se precisará de foguetes para fazer o lançamento destes aparelhos com a nova tecnologia. No entanto, ele diz que seu foguete poderia ser adequado para a elevação de uma nave espacial de baixa gravidade o levando para objetos celestes como as luas de Marte Phobos e Deimos.

Neumann diz que os experimentos com arcos elétricos pulsados ​​sobre metais estão a tona desde a década de 1920, e alguns dos dados coletados lhe foi útil na avaliação sobre qual material testar.

Fonte: IFFCG

Comentários
Carregando...