Artigos científicos, notícias e muito mais.

NASA irá estudar gêmeos idênticos: um na Terra e outro no espaço

A NASA lançou seu primeiro experimento de longa data envolvendo tripulantes da Estação Espacial Internacional!

Nenhum americano ficou mais de 215 dias no espaço, porém Scott Kelly será o primeiro. E para tornar as coisas ainda mais interessantes, ele tem um irmão gêmeo. A NASA vai usar esta oportunidade para estudar os efeitos do vôo espacial sobre astronautas. A pesquisa consiste de 10 investigações, que vão desde como o voo espacial afeta a visão dos astronautas, bem como as mudanças causadas das bactérias que ficam em nosso intestino.

“Percebemos que esta é uma oportunidade única de realizar uma série de novos estudos, porque teremos um gêmeo voando a bordo da Estação Espacial Internacional e o outro aqui na Terra”, disse Craig Kundrot , cientista-chefe adjunto do Programa de Pesquisa da NASA. “Podemos estudar dois indivíduos que têm a mesma genética, mas estão em ambientes diferentes por um ano.”

Mark_and_Scott_Kelly_at_the_Johnson_Space_Center,_Houston_Texas

Scott Kelly e seu irmão gêmeo Mark Kelly , um astronauta aposentado da NASA , tiveram suas trajetórias de carreira extremamente semelhantes: ambos foram aviadores navais, pilotos de teste na Marinha, e por conseguinte, astronautas. No entanto, nenhum dos gêmeos havia feito ainda uma viagem rumo a Estação Espacial Internacional.

Esta missão de um ano é parte de um estudo que tem como objetivo compreender o desgaste físico e psicológico de flutuar ao longo da vida (no sentido mais literal da palavra). Enquanto voar sem peso através de módulos pressurizados pode ser divertido, ele tem suas desvantagens. O espaço é um ambiente hostil para o corpo humano: os músculos enfraquecem e os ossos se tornam mais frágeis e o coração não bate com uma frequência normal.

“Estamos fazendo isso para que possamos reduzir o impacto esses efeitos, para que possamos, eventualmente, ir além da órbita da Terra um dia e explorar ainda mais do que as fotografias tiradas por sondas”, disse Kelly ao The New York Times . A pesquisa está em preparação para uma possível missão de três anos de ida e volta à Marte, sendo organizada pela NASA.

Os cientistas descobriram uma forma de atenuar a rapidez da perda de massa muscular: Os astronautas a bordo da ISS devem seguir uma rotina de treinos. Se não fizerem, sua massa muscular e óssea irão se deteriorar muito mais rápido do que na Terra.

Para Scott Kelly, esta será sua quarta vez no espaço, o que significa que ele terá gasto mais de 500 dias no espaço, quando ele retornará à Terra em março de 2016. Além dele, Mikhail Kornienko, que é russo, também estará vivendo a bordo da ISS para a próxima ano, e Gennady Padalka , que ficará por seis meses e após a conclusão irá superar o recorde de Krikalev com um tempo total de 878 dias no espaço.

Fonte: IFFCG

Comentários
Carregando...