Artigos científicos, notícias e muito mais.

O que a cafeína faz com nossos corpos e cérebro?

Muitos de nós não podem começar o nosso dia sem uma dose de cafeína.

Bebidas com cafeína afetam sua saúde de maneiras diferentes – um novo estudo mostra que o café parece estar associado a uma vida mais longa, enquanto muitas bebidas energéticas têm níveis de açúcar surpreendentemente elevados.

A própria cafeína é um estimulante com alguns efeitos positivos e negativos. Isso faz com que a maioria de nós se sinta mais alerta, acordada e focada, mas isso pode se voltar contra nós.

Também afeta uma série de processos em nossos corpos, incluindo nossa digestão, metabolismo e visão.

Aqui está o que está acontece depois de beber uma xícara de café.

A cafeína é a droga psicoativa mais utilizada no mundo

Uma das coisas raramente mencionadas sobre a cafeína é que, de fato, é uma droga. Na verdade, é a droga psicoativa mais utilizada no mundo, o que provavelmente é o motivo pelo qual não pensamos nisso como droga.

A cafeína tem efeitos psicoativos e muda a forma como nos sentimos e interagimos com o mundo que nos rodeia. No entanto, pense em quantos de nós não podem passar por um dia sem ela.

Charles Czeisler, neurocientista de Harvard, tem a hipótese de que a cafeína, combinada com a eletricidade, permitiu que os humanos escapassem dos padrões naturais de sono e vigília, libertando-os do ciclo do sol. Essa mudança, ele escreveu ao National Geographic, permitiu a “grande transformação do esforço econômico humano da fazenda para a fábrica”.

A cafeína faz nos sentirmos alerta, pelo menos por um tempo

É normal cansar-se à medida que o dia avança – nossos cérebros produzem naturalmente uma molécula chamada adenosina desde o momento em que acordamos até o momento em que dormimos. Os cientistas acham que isso nos ajuda a dormir à noite.

A cafeína “sequestra” esse processo natural imitando a adenosina no cérebro. Ela se conecta aos receptores projetados para adenosina, empurrando-as para fora do caminho. Como resultado, ficamos mais alertas e acordados.

No entanto, a adenosina cria novos receptores para que a molécula induzente do sono comece a se fixar novamente. É por isso que sua xícara de café pode de repente se transformar em duas – quanto mais receptores você tem, mais cafeína você precisa para conectá-los.

A cafeína melhora nosso humor

Como estimulante do sistema nervoso central, a cafeína não apenas aumenta o estado de alerta, mas também melhora seu humor.

Isto se deve ao mesmo efeito bloqueador de adenosina que faz você se sentir alerta. Ao bloquear os efeitos relaxantes da adenosina, a cafeína permite que a dopamina e a glutamina (outros estimulantes naturais produzidos pelo seu cérebro) o torne mais alerta, menos aborrecido e proporcione um impulso de humor.

Curiosamente, uma série de estudos têm encontrado uma ligação entre o consumo de cafeína e um risco reduzido de depressão – especialmente quando ela é consumida na forma de café. A pesquisa até sugeriu que a cafeína reduz o risco de suicídio, pelo menos para os homens. No entanto, um desses estudos encontrou essa conexão com o café como fonte de cafeína, mas não com o chá, embora outros também tenham encontrado o mesmo efeito para o chá.

A cafeína eleva nossos níveis de adrenalina, o que pode nos deixar irritados

A cafeína excita nossas células cerebrais, o que diz ao nosso centro de controle hormonal que há uma emergência. A hipófise diz às glândulas supra-renais (localizadas acima dos rins) para inundar o corpo com adrenalina.

Esse é o hormônio por trás da resposta “lutar ou fugir”. A adrenalina nos leva a ficar e enfrentar uma situação ameaçadora ou fugir de uma cena. Neste estado excitado, tendemos a ser mais irritados, ansiosos e muito mais emocionalmente carregados.

Enquanto que pode ser útil para algumas coisas, o hormônio agressivo traz pouco benefício em situações mais delicadas, como negociações.

A cafeína melhora nossa memória

A cafeína demonstrou melhorar certos tipos de memória – especialmente a capacidade de lembrar listas de palavras e informações diretas – em alguns estudos (mas não em todos). Algumas pesquisas mostram que isso ajuda essas memórias a “ficar no cérebro”, tornando mais fácil lembrar essa informação mais tarde.

Este aprimoramento, no entanto, parece ser mais forte para as pessoas que ainda não estão viciadas em cafeína.

Um estudo recente também indica que pessoas extrovertidas recebem um maior impulso de memória pela cafeína do que indivíduos introvertidos. Isso pode explicar por que alguns estudos observaram um efeito mais significativo do que outros. Stephen Braun, autor de Buzz: The Science and Lore of Alcohol and Caffeine, explica que as reações do indivíduo à cafeína variam muito – enquanto uma pessoa pode performar melhor quando está em alto nível de cafeína, é possível que outra pessoa não consiga obter resultado.

Muita cafeína pode levar a uma diminuição no desempenho

A cafeína pode aumentar a nossa capacidade de atenção.

Uma das razões comuns pelas quais as pessoas bebem café ou chá com cafeína é ajudá-los a se concentrar em uma tarefa. Um dos efeitos mentais mais claros da cafeína é um impulso na capacidade de concentração, especialmente para quem está cansado.

A pesquisa mostra que os motoristas comerciais que dirigem longas distâncias são significativamente menos propensos a bater se consumirem cafeína de qualquer forma – café, chá, pílulas ou bebidas energéticas.

No entanto, a maioria das pessoas está familiarizada com o nervosismo da cafeína e sabe que pode dificultar a concentração em qualquer coisa depois de consumir demais.

Ela pode diminuir o seu apetite

Uma xícara de café provavelmente reduz seu apetite por um período, mas há pouca ou nenhuma evidência de que fazer com que a cafeína seja um hábito normal possa manter a fome controlada ou ajudar a perder peso.

A maioria dos estudos que analisam o efeito da cafeína sobre o apetite também foi pequeno ou apenas feito em animais, o que dificulta dizer se as observações dos pesquisadores se aplicariam às pessoas de forma mais ampla.

A cafeína pode lhe dar azia.

Enquanto uma xícara de café pode parecer calmante se você está com frio ou cansado, a cafeína também aumenta os níveis de ácido no estômago. Isso pode levar à azia e pode ser especialmente ruim se você sofre de úlceras.

O consumo regular de café está associado a uma vida mais longa.

Dois estudos recentes encontraram evidências de que as pessoas que bebem muito café são menos propensas a morrer de forma precoce.

Pesquisadores que analisaram a dieta e a saúde de centenas de milhares de indivíduos sugeriram que os grandes bebedores de café são menos propensos a morrer de doenças cardíacas, câncer e diabetes, entre outras condições.

No entanto, o café descafeinado parece transmitir muitos desses mesmos benefícios para a saúde.

Traduzido e adaptado de Business Insider.

Comentários
Carregando...