Artigos científicos, notícias e muito mais.

Para onde deve ir o Furacão Matthew?

Originalmente Por Laura Geggel / LiveScience – O furacão Matthew, classificado como “categoria 3”, que vem provocando ventos de 205 km/h, deve alcançar a costa leste da Flórida-EUA ainda neste dia 6 de outubro, e então se mover para o norte, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), em um comunicado lançado às 8h desta quinta-feira.

Durante os últimos dias, o furacão já passou por Haiti, Cuba e por parte das Bahamas, provocando chuvas fortes e causando alagamentos. Ainda não se sabe exatamente quantas pessoas morreram em decorrência do fenômeno, mas números iniciais dão conta de cinco mortes no Haiti e quatro na República Dominicana, de acordo com o Washington Post.

VEJA A TEMPESTADE MATTHEW AO VIVO

O furacão atualmente está se movendo a 19 km/h, e de acordo com o NHC deve ficar mais forte, até alcançar mais uma vez a categoria 4 (quando chegou ao sudoeste do Haiti, possuía ventos de 233 km/h, que deram a ele essa categoria). No entanto, boas notícias para a região do Médio Atlântico e New England, nos EUA: a meteorologia aponta que depois do furacão alcançar as Carolinas, ele deve ir rumo ao Oceano Atlântico, se espalhando pelos estados nortenhos.

noaa

Matthew e Nicole

O furacão Matthew não está sozinho. A NHC noticiou que a tempestade tropical “Nicole”, localizada mais ao leste do Atlântico em relação ao Matthew, possui ventos de 80 km/h e está se movendo a uma velocidade de 13 km/h.

Há inclusive uma certa chance de que Matthew e Nicole cheguem a interagir, diz James Done, cientista do Centro de Extremos Climáticos e Meteorológicos do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica de Boulder, no Colorado.

“Há uma possibilidade de que Nicole empurre Matthew para fora dos Estados Unidos, mas isso depende de uma série de fatores, incluindo a intensidade de cada tempestade e a distância que uma tiver da outra”, disse Done ao Live Science.

As condições climáticas também podem influenciar na maneira como Matthew e Nicole podem interagir, disse Done.

“Geralmente, furacões preferem climas úmidos, com um oceano quente. Nós de fato temos um oceano quente. O mar do Caribe está mais quente que o normal para essa época do ano, e o calor se estende a grandes profundidades”. Ele acrescentou dizendo que “é provável que uma parte do aquecimento se dê por conta da atividade humana”.

Além de Nicole, há também um vale depressionário, de baixa pressão, se movendo na direção leste dos Estados Unidos na última semana, de acordo com Done. Se ele se mover de forma muito veloz, pode chegar na Costa Leste em tempo suficiente para afastar o furacão Matthew, mas ainda não está claro se isso vai acontecer. Além disso, a temperatura do oceano naturalmente deve arrefecer, consequentemente enfraquecendo a tempestade.

Comentários
Carregando...