Artigos científicos, notícias e muito mais.

Pesquisa mostra que as moscas são muito mais perigosas do que se imagina

Com informações de ScienceAlert

Moscas são insetos realmente nojentos. Passam por lugares sujos como lixeiras, esgotos, pousam em fezes e até mesmo em cadáveres. Por isso, são insetos que possuem o corpo totalmente coberto de bactérias e germes. Pensar em tudo isso quando elas pousam na sua comida é pode até mesmo fazer com que você perca o apetite.

E agora, de acordo com uma nova pesquisa, especialistas dizem que as moscas podem carregar um número muito maior de doenças do que imaginávamos.

Que as moscas carregam doenças não é uma novidade, e os insetos já eram inclusive conhecidos por alguns especialistas como “germes com pernas”, se referindo à grande quantidade de germes que esses insetos carregam. Entretanto, até então as pesquisas sobre este tema traziam apenas evidências pouco conclusivas.

O novo estudo, realizado no Eberly College of Science, na Pennsylvania, analisou os microbiomas de 116 moscas de três continentes distintos. Nos resultados, ficou evidente que algumas moscas carregam centenas de espécies diferentes de bactérias, muitas das quais podem ser bastante perigosas para seres humanos. Essas bactérias, segundo os especialistas, podem ser transmitidas para onde as moscas pousam, por meio das suas “pernas”.

“As patas e as asas apresentam a maior diversidade microbial no corpo das moscas, sugerindo que as bactérias usam as moscas como um tipo de ‘transporte'”, disse Stephan Schuster, um dos principais autores da pesquisa.

Os pesquisadores descobriram mais patógenos em moscas coletadas em ambientes urbanos, em relação às localidades rurais. Em 15 casos um patógeno humano chamado Helicobacter pylori, que causa úlceras no intestino. A maioria das moscas contendo esse patógeno foi recolhida no Brasil. Segundo os pesquisadores, as moscas “coletam” essas bactérias principalmente de esgotos a céu aberto e latrinas. Isso sugere, de acordo com os autores, que as moscas carregam mais patógenos quando convivem com um grande número de seres humanos.

“Nós acreditamos que isso pode nos mostrar um mecanismo para a transmissão de patógenos que foram negligenciados pelos oficiais de saúde pública, e as moscas podem contribuir para a rápida transmissão de patógenos em situações de surto”. disse o bioquímico Donald Bryant. “Isso vai fazer você pensar duas vezes antes de comer aquela salada de batatas que ficou exposta por muito tempo no seu próximo picnic. Pode ser melhor realizar seu picnic em um local afastado de ambientes urbanos”.

Enquanto essa informação pode aumentar sua aversão às moscas, também é importante para os cientistas analisarem e estudarem os microbiomas existentes nos insetos.

A pesquisa foi publicada na revista Scientific Reports.

Comentários
Carregando...