Artigos científicos, notícias e muito mais.

Tipos de mapas e projeções cartográficas

Talvez você tenha passado um pouco batido pelo conteúdo de mapas nas suas aulas de Geografia, mas este é um conteúdo que pode ser bem interessante. Basicamente, neste artigo, estaremos falando sobre os tipos mais comuns de mapas existentes e também sobre projeções cartográficas, que tratam do desvio que acontece quando tentamos projetar algo tridimensional em uma superfície plana.

Iniciando pelos tipos de mapas, os mais comuns são: mapas físicos, políticos, econômicos, demográficos e históricos. Os mapas físicos lembram muito a visão satélite do Google Maps®: lá, você pode ver o relevo do terreno, que fica mais escuro conforme a altitude aumenta. Já os mapas políticos são aqueles que comumente vemos nos livros. Os mapas políticos definem as fronteiras municipais, estaduais e/ou federais, entre outras.

Já os mapas econômicos e demográficos mostram características econômicas, como a principal atividade geradora de receita daquela região e dados populacionais, respectivamente. Por último, os mapas históricos são responsáveis por preservar a memória daquele local que está sendo representado. Eles não são tão acurados quando os mapas atuais, porém mostram as nuances que as pessoas daquela época davam a determinadas localidades, deixando seu conteúdo rico ainda nos dias de hoje.

 

Curiosidade: todos os mapas são “incorretos”

Sim, infelizmente. Isso ocorre devido à dificuldade de se projetar uma esfera em uma superfície plana. Para contornar esse problema, há algumas convenções padronizadas para se projetar o globo. Dessa forma, as distorções ainda acontecem, mas são conhecidas. Vamos a alguns dos tipos mais comuns de projeções:

Projeção Cilíndrica: imagine o planeta dentro de um grande cilindro. Depois, basta projetar o que você vê nas paredes desse tubo. Essa é a projeção mais comum e a que mais vemos em livros e Atlas.

cilind

Projeção Cônica: aqui, a figura imaginária é um cone. Essa projeção começa a ser um problema quando o globo começa a se afastar do paralelo com o cone, pois as distorções aumentam consideravelmente. Assim, esta projeção é mais utilizada para representar partes do planeta.

conica

Projeção Plana ou Azimutal: nessa projeção é como se colocássemos uma enorme folha de papel no ponto alto do globo, e então desenhássemos a partir dali. Essa projeção é muito boa para representar as regiões polares e os países da região central.

plana

Fontes: Mundo Educação e Brasil Escola

Comentários
Carregando...